segunda-feira, dezembro 22, 2008

Conto uruguaio


Peguei hoje um táxi com um taxista uruguaio muito lendário.

Papo vai, papo vem, o trajeto centro-Palermo estava bem devagar com a Avenida Córdoba lentíssima e o cara me mostra uma foto dele com o Ronaldo e o Roberto Carlos, tirada em 2001 em Montevidéu.

Segundo ele, um amigo que trabalha com turismo era o resposável pelo transporte da delegação brasileira no jogo das eliminatórias pra Copa de 2002. O taxista ajudou no transporte e tinha acesso livre ao hotel onde a delegação brasileira estava.

Entre várias lendas, a maioria delas com o Romário e o Roberto Carlos, o taxista me revelou o verdadeiro segredo por trás da derrota pro Uruguai naquele jogo, o Brasil perdeu por 1 a 0, e o porquê do "baixinho" não ter sido chamado para a Copa.

Basicamente a derrota veio porque os jogadores ficavam só na zona. Fizeram tantos "gols" na véspera, que em campo estava cansadíssimos. Levar mulher pro hotel estava terminantemente proibido pela comissão técnica. Porém o Romário, muito malandro, conseguiu escapar e levou duas mulheres para o seu quarto.

Felipão, técnico na época, ficou muito bravo com isso e desde então nunca mais convocou o Romário.

Taí, um mito do futebol revelado!

8 comments:

Anônimo disse...

Uau! Um furo jornalistico! Fantastico! Aposto que ninguem sabia dessa historia ate' agora. Obrigado por desvendar esse segredo!

Túlio disse...

Anônimo!

Lívia disse...

O que faz a pessoa deixar esse tipo de comentário e não assinar? Uau, que original!

É, meu querido, a fama tem disso... amores e desafetos! :)

Beijos e boa viagem!

Danni disse...

BEIH.
Que babado.
Eu venderia essa noticia!! hahaha
Abraços pra ti, guri :)

giancarlo rufatto disse...

e eu acredito taxistas. se ha alguem q sabe da verdade são eles.

marcus disse...

hahaha taxi em buenos aires é sempre uma emoção diferente!

peguei um aí no centro uma vez e o figura me falou q era fã número 1 do chico buarque, que tinha toda a discografia em vinil [comprada aqui, claro].

e o sujeito ainda cantou um trecho d'A Banda que foi... sofrível! Não pelo acento em si, nem nada, era pela total inaptidão melódica desse 'cantor de churrascaria frustrado' mermo! hehehe

sofrível sim, peroooo, ao mesmo tempo, comovente.

mas sobretudo sofrível.. hehe

- ele pos a culpa no cigarro - hahahaha claaaaro...

bizarro ter esse couvert artístico incluído na bandeirada.

aqui no Rio seria tipo pancadão ou samba - nada contra, 'si' amarro também. "daquele jeeeeeito"

Juan Trasmonte disse...

Essas histórias de motoristas são fantásticas. Uma vez estava eu em viagem por trabalho em Manaus. O motorista da van que levava à gente de lá pra cá, disse ser cantor e amigo pessoal do rei Roberto Carlos. Nos, com a pele curtida das fábulas dos motoristas de taxi porteños, falávamos "ah, é? jura?" e tirávamos sarro das histórias do mala. Até que no terceiro dia ele chegou com dois vinis gravados por ele e um monte de fotos com o Roberto Carlos.
Abs. boa virada aí na tua terrinha.

Pedro disse...

Essa história parece ser verdadeiríssima. A imprensa esportiva sabe, mas não publicou, por falta de provas.

Blog Widget by LinkWithin