quinta-feira, outubro 16, 2008

Video Music Awards Latino

O Video Music Awards Latino é uma verdadeira celebração da falta de identidade. Na tentativa de agradarem todos os "latinos", desde Tihuana até a Patagônia, eles fazem um freak show que acaba por não agradar ninguém que fala espanhol.

Uma enxurrada de artistas mexicanos, argentinos, colombianos e caribenhos que de comum só tem a língua que falam. A latinidade é ridícula, ainda mais essas do rock. Os caras querem pagar de mallandros e rockstar mas não conseguem renunciar ao sangue "caliente". Simplesmente não combina.

Isso sem contar a maioria de atrações e convidados estrangeiros, que concorrem e apresentam os mesmos prêmios. Só para ter uma idéia, a melhor banda de rock eleita foi o Tokio Hotel, que é da Alemanha. O prêmio tá mais pra VMA do terceiro mundo do que VMA Latino, tamanho é a presença de celebridades decadentes e bandecas de segunda categoria. Uma das apresentadoras era a Kim Kardashian, sub celebridade americana que ganhou alguma fama por uma sex-tape.

Pela segunda vez chamaram um comediante que foi totalmente sem graça. Dessa vez foi um colombiano que só tem fama dentro dos limites do seu país e não conseguiu agradar. Ano passado foi o Pettinato, estrela da tv argentina, que apresenta o ótimo Duro de Domar aqui. O cara saiu da argentinidade dele e foi tentar fazer piada pro resto do mundo latino e conseguiu um grande fiasco na sua brilhante carreira. Ninguém ria e foi de dar vergonha alheia.

Sempre desconfiei da palavra "eclético" e ela cabe como uma luva para essa premiação tosca. Uma verdadeira salsa do criolo doido que tenta celebrar uma latinidade unida que só existe lá pelos lados de um bairro cubano de Miami.

A realidade mesmo é bem diferente. Como já falou a ótima banda uruguaia El Cuarteto de Nos na música "No somos latinos":

En Colombia me decían gringo,
o alemán en Santo Domingo

Ni en Honduras, Panamá y Venezuela

el Uruguay ni saben donde queda.


Prefiero hablar con un filósofo sueco

Que con un indio guatemalteco,

y tengo más en común con un rumano

que con un cholo boliviano.

Nessas horas eu até me orgulho de ser brasileiro. Pelo menos fabricamos e consuminos o nosso próprio lixo cultural.

5 comments:

Leo Carioca disse...

Goste ou não, tudo brasileiro é latino.
Essa bosta de premio não tem nada haver com a latinidade O fato de falar português não faz ao brasileiro diferente do resto de bosta da Latinoamerica.
Se referir às pessoas de fala hispana como latino é coisa de gringo mesmo, é preconcituoso.

Túlio disse...

A língua portuguesa acaba blindando nosso país contra muito coisa boa e coisa ruim da latinidade. É um pouco positivo porque mantemos de uma certa maneira nossa identidade.

giancarlo rufatto disse...

hmmm acabei de saber que tokio hotel não é uma banda japonesa.

Túlio disse...

Nõa é japanesa e os cabelos dos membros da banda são inspirados claramente na brasileiríssima Elke Maravilha.

Carol disse...

esse negócio de unidade da América Latina é mais discurso que realidade, mesmo. e incrível como ele está durando.

Blog Widget by LinkWithin