sábado, outubro 18, 2008

El camino de San Diego

Esse filme de 2006 que demorei pra ver é tudo aquilo que falta no cinema argentino e até mesmo no brasileiro: histórias simples com personagens carismáticos e do povo. Sempre achei que para retratar as pessoas de um país não precisamos ter sempre sexo, favela, bandidos, sangue e uma análise antropológica. "El Camino de San Diego" prova isso perfeitamente.

Tito Benitez é um fanático por Maradona, possui várias tatuagens dele no corpo, inclusive o número 10 nas costas. Um belo día, ele encontra um tronco de madeira que parece a cara do seu ídolo máximo do futebol.

Era 2004, bem na época que Maradona ficou muito doente, sendo até internado na UTI. Isso causou uma verdadeira comoção nacional, com várias pessoas fazendo vigília na porta do hospital. Movido por isso Tito sai de Missiones, a província onde mora, e faz uma viagem até Buenos Aires para entregar a estátua de madeira para "El diez".

O diretor do filme é Carlos Sorin, o mesmo de "Historias minimas" e "El perro". Seus filmes são conhecidos por serem extramamente humanos e contarem sempre com a participação de pessoas do povo mesmo como atores. O próprio protagonista, que se mostra muito bem no papel de uma pessoa humilde e sonhadora, era da região de Missiones. No seu trajeto até Buenos Aires ele conhece uma série de outras pessoas que o ajudam nesse sonho, formando uma fauna incrível de personagens. Tem até um caminhoneiro brasileiro que dá uma carona para o Tito.

"El camino de San Diego" seria algo como um "Central do Brasil" argentino. Um road-movie de pessoas humildes, que consegue retratar lindamente a vida dos personagens anônimos. Tudo isso sem apelações e ao mesmo tempo sem se alienar dos problemas de um país.

Fiquem aí com o trailer:

1 comments:

Karol disse...

Carlos Sorín tem muito a manha.

Blog Widget by LinkWithin