segunda-feira, junho 02, 2008

In treatment.

A primeira profissão que quis ter foi a de veterinário. Mas logo, ainda quando criança, já mudei parae oftamologista. Todas aquelas visitas àqueles consultórios tão cheio de aparatos me fascinavam.

Mas aí com a adolescência veio minha paixão pela publicidade. Nunca fui muito de mudar de canal quando chegava a hora dos comerciais. Sempre os assistia e me encatava a idéia de um dia poder fazer aquilo, mesmo sem ter a mínima idéia de tudo que girava ao redor desse mundo.

Mesmo assim acabei fazendo segundo grau técnico em Cubatão. Sim, estudei informática industrial e era até mais ou menos competente nisso, mas sempre achei chatíssimo todo esse mundo de programação, LED's, diodos, capacitores e transistores.

Aí veio a época do cursinho e eu precisava ter certeza realmente do que queria estudar. Comunicação sempre foi a opção número 1, mesmo com o meu pai insistindo sem cansar que eu deveria fazer Direito. Nessa época fiquei muito em dúvida em fazer Geografia, sempre fui bom em mapas, ou Psicologia. Via aqueles filmes com psicólogos ou psiquiatras e adorava. Até "Máfia no divã" eu curtia.

Aí percebo que não é a toa que muitas das minhas séries preferidas tratam de psicólogos, psicoanalistas ou psiquiatras. Já tinha Cupid, com a belíssima doutora Claire, e Huff, com o fodão do Hank Azzaria.
Agora conheci "In treatment" e me internei num fim de semana vendo isso. A série é diária, de segunda a sexta. Cada dia da semana é um paciente diferente e na sexta é o analista que vai para sua análise.

Fazia muito tempo que não via uma série com tantos diálogos memoráveis e personagens ao mesmo tempo complexos e bem construídos. A Laura, paciente que se apaixona pelo doutor, é um show de personagem. Ótimas frases, metáforas, comparações e um humor mais ácido que coca-cola com esfiha picante. Não perco uma sessão dela!

Pois é, mas assistindo todas essas sessões de terapia percebi que não seria mesmo um bom psicólogo. Certamente perderia a paciência na primeira consulta. Acharia que todas essas neuras seriam apenas besteira e mandaria todo mundo pastar!

7 comments:

apotamianos disse...

affe.

Túlio disse...

que tipo de comentario é esse???

André Ramiro disse...

affe é boa. haha
vou procurar este seriado...vai que bate alguma coisa...na real, esse lance de psicólogo e psiquiatra é foda...você sabe o que vai falar, espera o profissional colocar numa linha coerente de raciocínio, você entende tudo e aí é só pagar pela sessão...hahaha

giancarlo rufatto disse...

fiz eletronica no 2º grau, aprendi a soldar cabos e usaros dentes pra desencapar fios. e sim, fazer pedais que duravam um dia.

Paula disse...

eu sou facilmente viciável em seriados. um perigo isso daí.

Marcelo Urânia disse...

todo pai quer q o filho faça direito. meu pai quer até hj! hahahaha tb sempre gostei de geografia, matéria preferida. mas aí morri na administração pq não queria ser professor e em urânia eu nem sabia q existia publicidade.

até hj qdo surge papinho de profissões nas rodas de família, jogam na minha cara q eu deveria ter feito publicidade. peço desculpas por crescer no interior e saio de perto. é uma merda. mas enfim, tô velho e não adianta reclamar. haha

JR disse...

Putz...adorei a série. Aliás, a grande maioria dos programas originais da hbo são fantásticos. Esse programa confirmou o meu desejo de estudar psicologia! Mãos á obra!

Blog Widget by LinkWithin