domingo, fevereiro 22, 2009

Pull the pin

Passou totalmente desapercebido por mim o lançamento do sexto disco inédito do Stereophonics, o "Pull the pin".

Lançado no final de 2007, o álbum recebeu mornas críticas e acabei deixando pra lá. Puta capa feia, pra que baixar? Besteira pura!

Das bandas do rock britânico dos 90, os Stereophonics foram um dos poucos que realmente evoluíram em alguma coisa, não ficando sempre no mesmo tipo de som. Coisa que não é pecado, muito pelo contrário. O Travis faz o mesmo tipo de som há eras e não significa que não gostamos.

Olhando para a discografia é possível ver uma clara diferença de som nos cd's. Começando roqueiros, indo para uma linha mas calma e acústica no segundo e terceiro álbum (com o mega hit Have a nice day), um quarto mais pesado e com poucos, mas belos, momentos calmos e um quinto cd que combinava perfeitamente guitarras e sintetizadores (a música Dakota explica perfeitamente isso).

Em Pull The Pin, Mr. Kelly Jones tirou um pouco o "pé" da guitarra (se é que existe essa expressão). Não esqueceu dos sintetizadores, mas deixou de lado um pouco e voltou a investir em melodias e linhas vocais que aproveitam muito bem sua tão característica voz rouca rasgada.

Depois desse cd eles ainda lançaram a coletânea "A decade in the sun", com algumas inéditas e outros grandes hits.

Aqui eles tocando "It means nothing", uma das músicas de Pull the pin, no Joos Holland. Um clássico. Detalhe: o atual baterista deles é argentino!

4 comments:

Adriana disse...

eu tenho esse disco. achei bacana.

(atrasadas: criatura de deus, que post é aquele "argentine english"?? tô me matando aqui de rir...)

vinilliterario disse...

Essa capa é bem desinteressante mesmo. No entanto, plagiando aquela história de não julgar um livro pela capa (...) A gente pode se dar bem ao ouvir o cd. Eu gostei. Aliás, não consigo não gostar do que os caras do Stereophonics produzem. Até os covers são bem bons. Gosto do Kelly Jones solo também, diferente mas gosto.

ps: digamos que esse comentário não foi nada imparcial né? Quem disse que tinha que ser? :)

Túlio disse...

Não é a toa que eles são umas das maiores bandas ingleses, mesmo que esse sucesso não seja refletido mundialmente.

Legal vc comentar sobre o solo do Kelly Jones. Acabei de postar sobre ele.

giancarlo rufatto disse...

que capa feia;

Blog Widget by LinkWithin