quarta-feira, agosto 13, 2008

Cromagnón e o Especial Novo Rock Argentino.

Dentro de alguns dias começa aqui na Argentina o julgamento dos acusados da tragédia da República de Cromagnón. No dia 30 de dezembro de 2004, um incêndio durante o show da banda Callejeros matou 174 pessoas e feriu mas de 700. Talvez essa tragédia tenha sido pouco noticiada mundialmente porque alguns dias antes aconteceu uma muito pior: o Tsunami.


Entre os imputados na causa estão o dono do lugar e até mesmo a banda. Os Callejeros eram conhecidos por soltarem fogos de artifício durante suas apresentações. Junte-se isso a um material de fácil combustão no teto da casa, um incêndio monstro e um responsável do lugar que ordenou fechar as portas para que ninguém saísse sem pagar durante o tumulto. O resultado é um drama argentino de proporções épicas.
Moro não muito longe do local da tragédia, que está a poucos metros da estação de trens do Once. A quadra da República de Cromagnón está fechada desde o fim de 2004 e agora existe lá uma espécia de santuário em lembrança das vítimas. Existe muita pressão dos vizinhos para que a prefeitura de Buenos Aires abra a circulação do local, o que facilitaria muito o trânsito nessa área complicada. Porém os pais das vítimas se sentem imensamente ofendidos com essa idéia. É mais um capítulo do drama que deve aumentar ainda mais com o julgamento.

Todo o episódio foi um divisor de águas do rock argentino. Desde então o controle sobre as casas noturnas é muito intenso e as normas para as apresentações excessivamente repressoras. É comum estar vendo um show num local com mesas e ser impedido de ficar de pé, por exemplo, por culpa de que o lugar não tem alvará para ter pessoas de pé.

Entrevistei algumas bandas do novo rock argentino como Rubin, El mató a un policia motorizado, Los Álamos e Hacia dos Veranos para ver o que mudou desde então para as bandas. Além disso eles falam sobre a atual cena do rock argentino, suas carreiras e planos e filosofam sobre o que é a sonoridade argentina.

As entrevistas você acompanha nos próximos dias.

8 comments:

Shari disse...

Acho que a ordem dos eventos foi inverso: o tsunami foi perto do natal e cromagnon foi no 30 de dezembro desse ano.

Túlio disse...

Obrigado! Informação corrigida.

netunno disse...

Esse episódio aqui em terra brasilis, foi bastante noticiado sim.
Aguardarei ansioso a entrevista com os chicos do El Mató a un Polícia Motorizado.
(:

Bruno Silva disse...

Que coisa isso tudo. Eu não lembrava disso, mas como eu sou um alienado, não conto como exemplo pra nada.

Agora, eu quero é a entrevista com indicações suas das musicas dos caras.

Abraços!
http://ladobdocassete.blogspot.com

Marcelo Urânia disse...

massa. quero ler a entrevista com o rubin.

cara, teu blog tá massa mesmo. voto certo no top seven s&y (se eu votar, né).

foda q não tenho tempo de ler tudo. imagino o tempo q vc gasta pra escrever isso tudo. haha

Túlio disse...

hahaha...
cara, escrevo os posts enquanto a TV fica ligada nos boring jogos olímpicos.

André Ramiro disse...

porra, os caras soltavam fogos no palco! que bando de loco! só podia dar merda mesmo....bem, pior é o maluco do bar fechar as portas pra ninguém sair sem pagar...doente.

Paulo Torres disse...

Acidente muito semelhante a um que aconteceu aqui em BH (fogos de artifício no teto de isopor!) uns anos atrás... mas num show de *pagode*, de uma banda que se chamava *Armadilha*! http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u41116.shtml

Blog Widget by LinkWithin