sexta-feira, junho 26, 2009

Macaquitos: uma lenda brasileira


Ahhh... nós brasileiros! Cheios de ideias prontas, verdades incontestáveis e NENHUM conhecimento do que nos rodeia.

Essa polêmica do Maxi Lopes no jogo Grêmio x Cruzeiro, sendo acusado de racismo por chamar um jogador negro de "Macaquito", só reforça isso.

O povo argentino é bem preconceituoso, mesmo às vezes não notando. Chamam bolivianos de "bolitas" e qualquer pessoa mais moreninha é chamada de "negra". É assim , por exemplo, com "Negro Ibarra", que jogou no Boca ou com o falecido quadrinista Fontanarrosa, que era chamado de El Negro, mesmo sendo bem branco.

É muito comum ouvir a expressão "negro de mierda" referente a qualquer pobre, favelado, maloqueiro ou cumbiero. É um baita preconceito, mas é algo sempre presente em qualquer xingamento ou manifestação do tipo.

"Macaquito" é uma invenção brasileira. Em 3 anos e meio na Argentina, tendo passado por uns 4 jogos Brasil X Argentina, tendo ido no campo ver vários times argentinos enfrentarem os brasileiros e acompanhado vários blogs locais de futebol, nunca ouvi essa palavra. Já ouvi locutores, comentaristas e aquelas intermináveis entrevistas após jogo com torcedores e nenhum nunca pronunciou essa palavra, nem que seja de brincadeira.

Já fui zuado na copa de 2006 em vários jogos do Brasil, nas Olimpíadas de 2008 quando perdemos feio para eles e nada, zero macaquito. Tiram mais sarro da derrota da Copa de 90 que nada. Durante o Brasil x Japão da Copa de 2006, que assisti num telão na minha antiga empresa, os caras colocaram imagens do Menem no meio da transmissão. Alguém aí da imprensa esportiva brasileira sabe que Menem é sinônimo de mufa, azar, mal agouro? Quando perguntados se quem é melhor: Maradona e Pelé, eles sempre falam que "Pelé debutó con un pibe" (Pelé perdeu a virgindade com um garoto). Isso sim é zuação!

Os argentinos sabem pouco de português. O portunhol deles, se não é pior, é do mesmo nível que os brasileiros. Falam "ventaninha" achando que é janela (em espanhol: ventana) ou "valijinha" ao se referir a mala. Em espanhol macaco é mono, e para um argentino saber disso ele precisa estar num nível médio de português, que o jogador argentino do Grêmio está longe.

Nem mencionar que existe a lenda que para falar português basta colocar um "inho" no final de cada frase e beleza. Seria mais fácil eles tentaram xingar como "Moninho" do que como Macaquito.

O incrível é que a nossa mídia brasileira faça zero pesquisa do fato e só reforça os preconceitos. Estava de férias no Brasil e chegou a ser ridículo o que alguns jornais falaram quando a Argentina perdeu do Equador. Até o Jornal da Globo, do sério William Wack, fez várias chamadinhas sacanas sobre o fato, coisa que não acontece por aqui.

Portanto "Macaquito" es la re puta madre que te parió.

(Achei esse blog onde um argentino comenta que nunca ouviu falar a palavra macaquito)

* Atualização:
Diz a lenda que em 1937 os argentinos chamaram brasileiros de macaquitos, segundo a Wikipedia, porém o mesmo verbete em espanhol não diz nada. Também há esse site. Já esse vídeo do youtube, diz que foi em 1963 a primeira vez que o xingamento "macaquito" apareceu. Afinal alguma dessas versões é correta? Quem comprova?

Não sei do passado, mas garanto o presente. Não achei nenhuma menção do episódio em sites argentinos, nunca escutei e não é conhecido nem usado nos dias de hoje pelos argentinos. Se alguém conhecer o termo deve ser um historiador.

18 comments:

Thomas disse...

Excelente abrodagem.
Quando ocorreu um caso semelhante,no Mormbi,entre De Sábato e Grafiti,foi aquele circo.Grafiti disse que o agressor o chamara de negro!Ora,isso demonstrou que o De Sábato podia não jogar muito,mas tinha sua vista intacta.Ou o Grafiti não é negro?Ou o Brasil não é uma mistura de tons e cores?Só quem não sabe de sua história,ou não se orgulhe dela pode se ofender ou negar suas origens.Quanto mais se valoriza o "problema",mais se alimenta o monstro.

Túlio disse...

Obrigado.

Acabei de atualizar o post com alguns links que falam de macaquito, mas ainda não acredito.

André Kruse disse...

Muito bom. Bastante esclarecedor.

Na Zero Hora de hoje uma professora de espanhol fez um esclarecimento parecido com o teu:
http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2559136.xml&template=3898.dwt&edition=12592&section=1010

Entrei ontem aqui
procurando algum post neste estilo.

sobre a origem do Macaquitos:
http://www.bolanaarea.com/copa_do_mundo_1950_almanaque.htm
MACACADA
No Maracanã o clima era de enterro. Nas ruas de Montevidéu, no entanto,
o povo uruguaio fez festa em cima dos eternos rivais. No meio da
bagunça até apareceu um cartaz que dizia: "Uruguay 2 x Macacos 1".
Macaquitos é o apelido dado aos brasileiros por argentinos e uruguaios.


Eu tenho (ou tinha) uma revista com essa foto. tentarei achar.

Túlio disse...

Os dois links apontam um cartaz no URUGUAI e uma suposta capa do Olé.

Mas nada que fale que é normal na Argentina chamar brasileiro de macaquito.

Danni disse...

Perfeito!!
Vou indicar essa leitura ao bando de burros que eu conheço, hehehe :)

Abraços

Leo Carioca disse...

Tem muito do que penso. Porém, desta vez, acredito que Maxi López conta com o nível necessário para saber o que é macaco. Só que se deveria esclarecer em circunstâncias foi o xingamento: se foi em um troca de insultos, não deixa de ser feio, mas tem atenuantes. Se foi direto, maxi López reforça minha idéia que é um babaca.
A origem: todas as que você apresentou, não conhecia. Sim sabia, que a historia se remonta a um jogo entre as seleções, em um sulamericano, não lembro bem quando, mas sim que foi entre 1996 y 1920 (mais ou menos). A fonte a jornalista Roberto Assaf, que sabe muito de historia de futebol e não chauvinista.
També, Ole fez uma a famosa capa "que se vengan os macacos", relembrando esse famoso tema de como na "Argentina os negros são chamados de macaco". Era pq Argentina tinha chegado à final dos Jogos Olímpicos em Atlanta 96 e a otra semi era Brasil-Nigeria. Obvio que pegou feio e as desculpas foram pedidas.

Por último, será que nenhum jogador estrangeiro que joga no Brasil é insultado de gringo de merda ou argentino, colombiano, etc de merda?

Túlio disse...

Valeu pela informação, Leo.

Alex Alvarez disse...

Túlio, parabéns pelo post. O que você diz é verdade: o brasileiro pensa que sabe muito, mas não conhece o mundo que o rodeia.

Tudo isto que você falou sobre o povo argentino é desconhecido por estes que julgam (erroneamente) o atacante do Grêmio. O maior problema é que os brasileiros estão pouco se lixando para o Maxi López. Não há interesse em escutar e entender o argentino, só em castigá-lo por um ato racista que ele não cometeu, e ganhar audiência com toda a polêmica. Justiça? Sim, nós gostariamos de um pouco disso.

Eu moro no Uruguai há anos, e conheço bem o povo daqui e bastante os argentinos. Afinal, eles estão do outro lado do "charco", e metade da televisão exibida no Uruguai é da Argentina.

Eu acho um fato interessante e positivo o uso comúm da palavra "negro" aqui e aí. O termo não é usado de forma pejorativa, a menos que venha acompanhado da palavra "mierda". Há muito preconceito, sim, mas não toda vez que alguém fala "negro". No Brasil não se pode falar "negro" porque já acusam de racismo. É uma idiotice. Se o simples fato de dizer a cor da pele da pessoa fosse racismo, tampouco deveriamos chamar as pessoas de "branco".

Sobre o termo "macaco", aqui o povo uruguaio usa, sim, para chamar o brasileiro, mas não é racismo, é simplesmente um gentílico. E é verdade que eles não sabem o significado da palavra. Como você disse, Túlio, a tradução para o espanhol é "mono", e se Maxi López quisesse insultar Elicarlos, teria usado essa palavra.

Mas, claro, como a Santa Inquisição, dona da verdade, o povo brasileiro não vai ouvir ou acreditar em Maxi López, muito menos buscar os fatos, porque eles trariam a horrível verdade à tona. No final das contas, sim, há muita discriminação.

Fernanda Chazan disse...

Não é novidade o exagero, e até mesmo o sensacionalismo da mídia esportiva brasileira ao publicar questões relacionadas com Brasil-Argentina. O que piora a cada vez, é a escala que esses exagero alcançam. A má avaliação ou a má apuração do fato podem causar sérias repercussões, em todos os lados. A história apresentada neste post ou os esclarecimentos no comentários de Leo Carioca são situações não buscadas (e se buscadas, mal apuradas) pelo jornalismo esportivo em geral; o que gera um efeito dominó. Posso assegurar que os argentinos em geral já estão sendo esculachados em larga escala. Hoje estava na padaria, esperando pelo café, e foi quando ouvi dois senhores discutindo a respeito do mau caratismo dos argentinos em geral, de suas mentiras e soberbas... Enfim, o fato é que este e qualquer outro tema que não seja aprofundado antes de ser deliberado pela imprensa, podem deixar os leigos (como esses dois senhores) formarem opiniões precipitadas, e muitas vezes, errôneas.

Cido disse...

realmente...na copa de 2006, no maluco beleza, ninguem gritava "macaquitos" pela janela da calle sarmiento.

Tatiana Lazzarotto disse...

Opa! Até q enfim, li algo inteligente e com conhecimento de causa sobre o assunto.
Bom texto, 25.
Beijo da 17. Hehe

Juliana Bragança disse...

nada como ter você para nos exlicar essas bobagens!

Pedro Obliziner disse...

um bom ponto de vista, vou indicar

thayane disse...

Gostei muito do que você escreveu!
Excelente opinião. Mudei muito a minha opinião sobre os argentinos.E, convenhamos, preconceito existe em todo lugar.O Brasil não está fora dessa. Eu não conhecia esse lado da história.Visitei o blog do argentino e vi que ele desconhece mesmo o tal "macaquitos". Temos que entender uma coisa: existem argentinos preconceituosos? Sim! Mas tbm existem brasileiros preconceituosos tbm!E parar c/ essa mania de achar q td q falam do Brasil, dos brazucas e tal é discriminação. E as piadinhas de português q nós fazemos? Preconceito tbm! Mas aki td mundo acha normal.Só qdo fazem conosco q lembramos da tal discriminação...
AFFF...

Unk disse...

Já vi um recorte de jornal antigo confirmando essa história de macaquitos (vou ver se encontro) e um amigo meu disse que ao ir para a Argentina de ônibus, na fronteira houve um garoto argentino que começou a chamá-lo de "macaquito". O que ele estranhou pois a pele dele era mais clara que a do garoto.

Unk disse...

Um adendo ao comentário do Thomas. Segundo a imprensa, o Desábato teria chamado o Grafite de "macaco", não de "negro". Há um outro caso do futebol que é menos lembrado: em 2005, quando o Tevez estava no Corinthians, o jogador Baiano do Palmeiras deu-lhe uma bolada durante e o jogo e foi expulso. Ele se justificou dizendo que havia pego raiva dos argentinos no período em que jogou pelo Boca Juniors, onde sofria ofensas raciais das torcidas adversárias.
http://www.greennews.jex.com.br/palmeiras+online/baiano+pode+ser+suspenso+por+bolada+em+tevez

Unk disse...

Achei o vídeo do Baiano e o Tevez: http://www.youtube.com/watch?v=FtgfVOa3ujE

Anônimo disse...

Nunca li um texto tão bajulador. Se dependesse do autor jamais o brasileiro seria chamado de "macaquito" pelos argentinos, mas de "capacho". Vai ser bajulador assim na PQP!!!

Blog Widget by LinkWithin