quarta-feira, janeiro 07, 2009

No hay monedas

"No hay monedas". Ver isso escrito toscamente de caneta ou mais caprichado em uma folha impressa é a coisa mais comum de encontrar em qualquer tipo de kiosko, restaurante, sorveteria, pizzaria ou supermercado chino.

Como já falei num post do ano passado, isso afeta a todas as pessoas que precisam usar ônibus (até mesmo esse belo 152 da foto do blog) na Grande Buenos Aires, já que só é possível andar neles pagando com moedas. Não existe o cobrador, figura também em extinção no Brasil, mas sim uma máquina que só aceita moedinhas.

Já cansei de comprar coisas que não preciso só para fazer troco para pegar ônibus. É uma verdadeira merda. Você tem que fazer o cálculo exato e escolher a "coisa-que-você-não-precisa" do preço certo que não dê opção para o comerciante dar um troco em notas. Sim, como a crise é geral, os caras fazem de tudo para evitar dar moedinhas. Pedir gentilmente para que eles troquem uma nota de 2 pesos por 2 moedas é piada. Impensável.

E tudo promete piorar ainda mais, vem aí um aumento. O valor mínimo de 90 centavos será reajustado para 1,10! Que maravilha.

A situação é tão patética, que até o The Wall Street Journal comentou isso. A opção deles seria deixar que empresas privadas também fabriquem moedas. Sinceramente achei meio bizarro.

Se a culpa da falta de moedas é claramente dos ônibus que obrigam todos a guardar seus "níqueis", não seria mais fácil instalar máquinas de cartão magnético, como muitas cidades brasileiras e até mesmo argentinas tem? Engraçado que o metrô de Buenos Aires já tem esse sistema. Poderiam até integrar o mesmo sistema, mas pelo que vejo não há planos para isso.

É tão simples, só falta vontade política. Cris Kirchner, atendei a nossas preces!

5 comments:

misfit disse...

poxa, tô cheia d moedinhas de pesos aqui em casa da minha última viagem... se me pagarem a passagem, eu levo aí pra vcs ;-)

Danni disse...

hahaha
eu vim pra dizer justamente a mesma coisa que a "misfit" disse acima...
tenho váááários pesos em moedas! :P

Karol disse...

Bom, podia ser pior: cê poderia tá em Belo Horizonte, onde não faltam moedas mas é preciso gastar 4,60 só pra ir e voltar do Centro da cidade (se você mora num bairro não-muito-afastado, é claro).

Túlio disse...

Pois é Karol, nessas férias andei de ônibus em Santos, R$ 2,40, e Curitiba, R$ 1,90.

Fiquei me perguntando se não preferiria uma passagem mais cara e um ônibus com menos de 3 décadas de uso.

Anônimo disse...

HERMANO.;...QUE CARAJO QUERÉS CON 30 CENTAVOS DE DOLAR EL BOLETO???

Blog Widget by LinkWithin