sábado, março 14, 2009

La ventana, de Carlos Sorin


Carlos Sorin, um dos meus cineastas argentinos preferidos (mais dele em outro post), lançou essa semana seu mais novo filme La Ventana.

Diferente dos seus outros filmes, esse não é um road movie. Mas a essência de suas histórias continua a mesma. Histórias e personagens simples, com planos e desejos que podem parecer banais, mas que significam muito para eles.

O curto filme, de mais ou menos uma hora e vinte, conta a história de Antônio que no fim da vida, é assistido por duas empregadas, preso em uma casa de um vilarejo longínquo da Argentina por seu preocupante estado de saúde. Seu filho pianista, muito famoso no exterior, vai o visitar. Todos os seus empregados ajeitam a casa para mostrar o melhor para o tal filho.

O grande trunfo dessa história sem pretensões é nos transportar totalmente para o clima e as vontades do idoso, louco para dar uma volta pelo campo, sonhando com amores passados, mas impedido pelos médicos de sair do quarto. Uma viagem até a simples horta se transforma numa verdadeira epopéia.

Não é o melhor filme de Carlos Sorin, os personagens simples dessa vez não são tão explorados e nem tão cativantes como antes, mas mesmo assim é uma das melhores facetas do cinema argentino.

Aqui um vídeo de uma entrevista pro La Nación.




9 comments:

karol disse...

OBA!

Juliana Bragança disse...

PARECE BOM, me lembrou o banheiro do papa!
bjos

Túlio disse...

a melhor frase desse filme foi do personagem do afinador do piano:

"Piano é como uma mulher, de tempo em tempo tem que ser tocado senão estraga"

travelandtrips disse...

Adoreiiiiiiiiiii..

Vou ver se encontro..

=)

http://travelandtrips.wordpress.com/

Bruno Silva disse...

Saudades dos filmes que eram bons mesmo tendo no máximo 1h30.
Hoje é pré-requisito ter mais de 2h pro filme ser considerado bom.

Abraços!
http://ladobdocassete.blogspot.com

giancarlo rufatto disse...

sorin não jogou num time brasileiro nos anos 90? acho que foi no cruzeiro.

Túlio disse...

Sorin ainda joga no Cruzeiro. Foi pra Europa e voltou... mas esse é o Juan Pablo Sorin.

Remeras Métrica disse...

Oi Túlio! Super interesante teu blog... Vc está virando um argentino mesmo...amargo e nostálgico. Nao e Suiça aki, mais alguma coissa legal pra considerar tem nao acha?


Abrazo,

Vicente, Um argentino que ama o Brasil!

Juan Trasmonte disse...

Concordo, Túlio. Dos argentinos, há anos que Sorín é quem mais me interessa, muito mais que outros mais badalados como Burman e Lucrecia Martel.

Blog Widget by LinkWithin