sábado, janeiro 19, 2008

Guia Rápido de Buenos Aires: 6. Boca e San Telmo.

Talvez San Telmo e Boca sejam os bairros mais tradicionais de Buenos Aires. São lugares que transpiram história e, pelo menos San Telmo, recentemente começou um boom de restaurações e revitalizações de belos edifícios.

San Telmo atualmente é o paraíso dos gringos. Devido a desvalorização do peso existem muitos americanos e principalmente europeus morando que vêm para a cidade para estudar espanhol ou alguma carreira na UBA. O bairro que a maioria deles escolhe para morar é exatamente esse.

O mais famoso de San Telmo é a sua feira de domingo na Plaza Dorrego. Na verdade a feira começou nessa praça durante a crise de 2001 e agora chega a muitas quadras da Calle Defensa. É uma feira basicamente de antiguidades e um pouco de artesanato. Vale a pena visitar apenas pelo tanto de gente que vai para lá, pelas ruas movimentadas, pelas orquestras de tango nas, os casais dançando tango nas esquinas e os artistas "callejeros". Como feira, pessoalmente, é uma amontoado de velharia sem muita utilidade e com preços surreais.

Não dá para falar desse bairro sem explicar os Cafés Notáveis. Não sei exatamente quantos são em toda cidade, mas é em San Telmo que estão a maioria dos cafés históricos que ganharam da prefeitura o "selo" de notável. São lugares, em sua maioria, do início do século 20 por onde escritores e intelectuais sempre vinham tomar um cafezinho. Borges, Cortazar, Ortega y Gasset são um deles. No bairro você encontra o Bar Dorrego, o Bar Federal, o Británico e o meu preferido Hipopótamo (bem na esquina de Defensa e calle Brasil).

No bairro também vale a pena conhecer de noite a Calle Chile, muto movimentada e uma passarela de bares e restaurantes.

Já a Boca é um bairro que vive pelo seu time, o Boca Juniors. É grudado em San Telmo, mas de todos lugares turísticos da cidade pode ser considerado o mais perigoso. Basicamente há duas coisas para visitar na região. O Caminito, espécie de pelourinho porteño, e o estádio do Boca.

O Caminito, aos domingos, também recebe uma pequena feirinha nos moldes da de San Telmo. Como vão muitas pessoas, é o dia ideal para visitar o bairro já que o policiamento é bem maior. A rua cheia de casas coloridas é bem interessantee gera belas fotos, mas é um passeio rápido. Duas quadras de lá está o Estádio Alberto J. Armando, La Bombonera. Dentro dele está o museu do Boca que dizem que é muito interessante, mas que nunca vi já que achei meio caro. Também há uma lojinha de vários produtos do time: além das tradicionais camisetas, gorros e tudo mais, também se pode comprar um vinho do Boca e uma roupa de cachorro do Boca.

O que vale mais a pena é fazer o tour pelo estádio. Mesmo tendo que aguentar os exageros dos guias, como dizendo que aquele vestiário feio e fedido, assim como a sala de imprensa simplíssima são os mais modernos da América do Sul, o passeio é bem interessante para perceber a arquitetura nada normal do estádio.

Agora só faltam 4 itens para o fim do guia rápido:

7. Tigre / San Isidro
8. Futebol
9. Noite e Náite
10. O que os guias não dizem

3 comments:

Leo Vinhas disse...

O Caminito me pareceu a maior "trampa turística" que já vi: os tais prédios não têm nada de mais a não ser suas corezinhas de mau gosto, as lojas só vendem lixo e os preços são tão ou mais surreais que os da Feira de San Telmo (14 pesos uma Quilmes 3/4?).

Túlio disse...

hahahahaha. Fiquei muito decepcionado com o Caminito também. Não digo que não vale a pena ser visitado, mas não é nada lá essas coisas......

Gus disse...

As cores das fachadas de zinco tem um porquê. O pessoal que morava nessas casas era bastante pobre e pintava suas moradas com tintas que sobravam da pintura dos cascos de navios nessa área portuária.

Blog Widget by LinkWithin