sexta-feira, março 16, 2007

¿Tenés un poco de Buena onda?

ugis
Uma das característica inegáveis do povo desse país é a sua cabeça-quente. Aquele contínuo estado de que estão a ponto de explodir. Aquela falta de educação, intolerância e um certo egoísmo presente em todos os lados.

Claro, não estou generalizando e dizendo que todos são assim, mas como aqui já fui testemunha de tantos barracos, brigas, discussões e pitis que fica evidente que por essas bandas realmente não encontramos um Reino de Simpatia.

Os taxistas formam a pior raça. Certa vez rumo ao aeroporto, num táxi caindo aos pedaços de um senhor desdentado, o motorista invocou com um cara de uma Fiorino. Começou a discussão nos sinais fechados da Juan B. Justo e culminou com o cara parando o carro, descendo e indo dar de dedo no outro motorista. Ridículo.

Outra vez, numa rua de Palermo, o taxista apenas nao podia esperar que o carro da frente parasse para as pessoas descerem. Teve que buzinar, brigar, discutir, dar de dedo e amaldiçoar a geração inteira do condutor.

Outro dia no metrô foi a mesma coisa. De vez em quando ocorrem atrasos em todas as linhas. Trens que passam de 3 em 3 minutos estavam demorando 10, o que resultava num abarrotamento de gente. Na hora de descer na estação sempre é um rolo, mas claro havia uma mulher que não parava de xingar e ameaçou bater um cara que estava na sua frente. Detalhe, o pobre jovem não tinha lugar pra escapar, ouviu calado os esbravejamentos da mulher.

O porteiro novo do meu prédio raramente responde meus "buenas" e "holas". Agora adoto o silêncio.

O engraçado que muitas pessoas são totalmente enérgicas e sem pudores na hora de "putear" alguém, mas se tornam perfeitos bananas quando a fila do caixa demora 20 minutos, quando você é mal atendido ou quando a conta demora quase meia hora para ser trazida. Apenas aceitam, ninguém reclama.

Na última vez que fui pra Curitiba, sentei no Lucca Café e imediatamente recebi o menu do garçom. Simples não? Mas uma raridade por essas bandas. Ótimo e pronto atendimento aqui só em restaurantes de Palermo onde a conta é salgadíssima ou na Ugi's. Não é a toa que proliferam mini mercados de Chineses por todos os lados. As grandes redes, leia-se COTO, parecem que não precisam de consumidores e o tratam como gado. É muito mais negócios você ir ali no China, ser rapidamente atendido, e muitas vezes pagando até menos por isso. Às vezes me pergunto o quanto do PIB desse país aumentaria se eles tivessem umas aulas de como agradar melhor o consumidor. O quanto mais essas empresas iriam lucrar. Mas não, a atitude deles é de que estão fazendo um favor para você que está comprando coisas.

Está certo que muitas vezes o povo brasileiro chega ser idiota de tão feliz, que está na bosta mas está sambando. Mas convenhamos, é muito mais fácil ser agradável com as outras pessoas, não? Para ser antipático e desagradável é preciso um esforço, é preciso pensar nessa atitude, uma coisa que não sai natural. Não peço sorrisos falsos de aeromoças, apenas simpatia e boa-vontade.

Um pouco mais de "buena onda", por favor.

4 comments:

Anônimo disse...

Adorei, sei que adorei não quer dizer nada mas as vezes é isso mesmo, simplesmente A D O R E I.

Você fez com que eu vivesse um pouco da sua vida.

Um abração.

Dylan Loureiro da Conceição
Porto Alegre-RS Brasil

patrícia. disse...

Devem estar fazendo falta as sacolinhas e sacos de pão "Servimos bem para servir sempre", não?!
beijo!

cido disse...

eu incluiria os bartenders do la cigale naquele famigerado taxi amaldiçoado no palermo...concha tu madre, hermana, abuela, etc...

Túlio disse...

falou e disse, sr cido

Blog Widget by LinkWithin