quinta-feira, janeiro 11, 2007

Perfect


I know we're just like old friends
We just can't pretend
That lovers make amends
We are reasons so unreal
We can't help but feel that something has been lost

But please you know you're just like me
Next time I promise we'll be
Perfect
Perfect
Perfect strangers down the line
Lovers out of time
Memories unwind

So far I still know who you are
But now I wonder who I was...

Angel, you know it's not the end
We'll always be good friends
The letters have been sent on

So please, you always were so free
You'll see, I promise we'll be
Perfect
Perfect strangers when we meet
Strangers on the street
Lovers while we meet

Perfect
You know this has to be
We always we're so free
We promised that we'd be
Perfect

Uma vez, uma garota me enviou essa música do Smashing Pumpkins depois do fim do nosso "affair". Foi bonito. Desde então sempre tentei me resignar mais sobre certas coisas que fogem do nosso alcance. É uma coisa dificil de entender, aquela coisa do deixar ser e fluir, de não lamentar e apenas aceitar o destino. Não só de nossas ações se constrói o futuro e odeio concordar com isso. A casualidade e esse "caráter aleatório" das coisas, querendo ou não, têm uma grande parcela de culpa também. Droga! Tenho problemas seríssimos em aceitar isso e sempre acabo tentando interferir no inexorável. Seria culpa de Hollywood? Ou da Xuxa que canta na música Lua de Cristal "tudo pode ser, só basta acreditar" e "tudo que eu quiser o cara lá de cima vai me dar"?

Seria a Xuxa a culpada por isso? Sim, ela fica iludindo essa criançada com suas músicas auto-ajuda e acaba criando uma geração de enganados!

* palmas para Kirsten Dunst. Seu personagem em Elizabethtown é apenas a mulher mais perfeita que pode existir.

8 comments:

pumpkincita disse...

jaja de Xuxa, de Paulo Coehlo, de la Religión..
Qué haríamos los pueblos pobres sin la esperanza?

En un punto muchas cosas son posibles, no TODO pero mucho, incluso en lo poco que tengamos para elegir.

Igual es fácil decir, y es dificil hacerlo, aceptar el destino, que las cosas fluyan.. Si fueramos musulmanes tal vez aceptaríamos más las cosas como son..

Ahora se estrena Marie Antoniette, con Kirsten también, y dirigida por Sofia Coppola!
El 25 de enero en el abasto seguro.

Slds!

Túlio disse...

seguro veré Kirsten en esta nueva pelí, igual dicen que no esta buena esta de Sofia Coppola, pero veremos

pumpkincita disse...

para mi ver esa armonía entre imagen y sonido que tienen las pelis de sofia ya es suficiente.
eso lo logra de un modo tan sutil, tan fino.
si además la historia o el modo de contarla es entrenido o ameno, ya es mudho mejor aún.

:)

c ya later

patrícia. disse...

E o "querer, poder, conseguir"?!
Sem dúvida, a culpada de tudo isso é a Xuxa mesmo!

Cícero disse...

Mas convenhamos... o filminho é beeeem mea-boca!! se bobear 1/4 de boca e olhe lá! hahah

Abs brother!!

pumpkincita disse...

ay no..
no te aguante tu label "indie"

morí de la envidia! quiero uno yo también!
ajajaja

Ciana disse...

Oi Túlio,
Descobri seu blog por acaso e gostei muito. Na verdade, ele não poderia ter aparecido em melhor hora! Moro no rio mas estou me mudando pra Buenos Aires dentro de poucos meses. Será q vc podia me dar umas dicas? Pode deixar que eu não vou alugar muito, rs. Meu email é cianalago@gmail.com.
bjs e parabéns pelo blog!

Vinícius Cunha disse...

Tu citou a Kirsten no mesmo post onde tu colocou uma letra da banda do irmão dela, Billy Corgan, . Foi por acaso ou só eu que noto a semelhança?

Blog Widget by LinkWithin