terça-feira, fevereiro 19, 2008

The Pervert's Guide to Cinema

Imagine colocar os filmes clássicos no divã? Hitchcock, Bergman, Chaplin, Lynch, The Matrix, Clube da Luta, o Exorcista, Tarkovsky e uma lista que não acaba.

É disso que se trata "The Pervert's guide to Cinema". Um documentário de mais de duas horas em que Slavoj Zizek, filósofo, sociólogo e psicanalista esloveno, passeia verborrágicamente por inúmeros filmes e seus significados, seus personagens, suas cenas, seus enredos, seus enquadres e todos os interditos.

Além de tirar o espectador de uma relação passiva com o cinema, Zizek acaba trazendo a psicanálise para um patamar mais acessível e exemplificado. A relação dele com o cinema é de amor e ódio. Ao mesmo tempo em que ele o critica, dizendo nas linhas iniciais do filme que "O cinema não dá o que você deseja. Ele diz como você deve desejar", o filósofo também o classifica como a arte que melhor exemplifica a psicologia. Para ele, além de ser uma mistura perfeita entre imagem, linguagem e som, o cinema é popular e acessível.

No documentário Zizek aborda temas como a realidade, o desejo, a mortalidade, fantasia, ansiedade, entre outros. Seus diretores preferidos, pelo menos se contando o número de citações, são Hitchcock e Lynch.

Os três andares da casa de Norman Bates em Psicose (porão, térreo e primeiro andar) são comparados com o Ego, Id e Superego e relacionados aos momentos em que o personagem carrega sua mãe para cada piso. Diz que "Os pássaros" se trata de uma relação incestuosa já que o ataque das aves nada mais é que a manifestação do ciúme da mãe para com o relacionamento amoroso de seu filho.

Chaplin é mostrado de uma maneira muito mais complexa da que estamos acostumados, assim como filmes mais recentes e considerados menos "arte" como Alien e Matrix. Mostra também toda a relação entre os quartos e ambientes de David Lynch, assim como as figuras paternas e o uso da luz. Considera um diálo de "Persona" a melhor cena de sexo do cinema e a mais deprimente uma do filme "A professora de Piano".

São muitas as relações e uma verdadeira teia de aranha entre filmes. Algumas declarações chegam a ser cômicas de tão absurdas, mas Zizek sempre tem seu ponto. Alguns insights são realmente ótimos, principalmente quando ele fala sobre a ficção que tanto precisamos para viver nossa realidade.

Mas não só teorias e elucubrações de um esloveno de sotaque forte. A produção do filme teve o cuidado de visitar e reconstrir locações de filmes, como o lago de "Os pássaros", a privada de "A Conversação", uma sala de "O Corpo que cai", um palco de "Cidade dos Sonhos" e outros. É como se o psicanalista dialogasse com a própria cena e, claro, traz até uma certa comecidade para tudo.

"The pervert's guide to cinema" tem direção de Sophie Fiennes, irmão dos atores Ralph e Joseph, mas a estrela é Slavoj Zizek, um cara apaixonado pela psicanalise e com ótimo bom humor.

Para aqueles que se sentem meio burros quando assistem a um filme, quer saber mais de psicologia lacaniana ou simplesmente querem ouvir teorias sobre o cinema, o filme é mais que recomendado.

Olhem só como exemplifica o Ego, superego e Id com Psicose e também com os irmãos Marx. Tudo isso direto do porão de Norman Bates!

2 comments:

Ivan disse...

porra Tulio. essa temporada na Argentina tá de deixando esquisito. cê tá virando intelectual? ahahaha

Túlio disse...

intelectual nunca, talvez pseudo.

Blog Widget by LinkWithin