segunda-feira, julho 02, 2007

A minha brasilidade

Este domingo fui numa festa junina realizada aqui no bairro de Palermo. Fecharam toda uma rua em frente ao conhecido restaurante chamado "Me Leva Brasil".

Além de poder provar variados quitutes juninos pude matar saudade da brasilidade, aquela coisa que eu não via aqui desde o período da Copa de 2006.

As coisas tinham preços exorbitantes, como por exemplo uma caipirinha num copo de plástico a 12 pesos, um quentão em um copo ridículo de pequeno a 8 pesos e um pinhão, bem horrível por sinal, por 5 pesos. Uma lata de guaraná eram mais 5 pesos e uma lata de Skol, 6 dinheiros.

Sou mala onda e não entro na onda da diversão. Se sei que posso pagar muito menos por uma coisa, não vou pagar 2, 3 vezes o seu valor apenas porque estou numa "festinha". Ok, entendo que não estamos no país de onde essas coisas são feitas, aceito que sejam mais caras... mas o copo de quentão a 8 pesos era ridículo e patético de pequeno.

Também pude ouvir pagode e samba numa festa junina, coisa que nunca tinha visto antes. E claro, as passistas. Aquelas mulheres sambistas todas cheias de plumas e paetês. Particularmente não acho bonito, no máximo as moças em questão tem uma bela bunda e nada mais.

Esse tipo de não identificação me deixa sempre com um sentimento ruim. Aquilo lá não sou eu. Brasil pra mim era Santos, caminhar na praia, almoçar com a família no domingo e falar bobagem ou Curitiba, acordar cedo para ir na faculdade, viajar para a praia, passar o domingo assistindo Sony, esse tipo de coisa que me lembra "Brasil". Fugir dos carnavais, da multidão, da gente bêbada, fedida e descontrolada... isso sempre foi meu Carnaval.

Não lembro de nenhuma vez ter ido a um lugar de "axé", muito menos ter saído em um bloco carnavalesco. Acho que ouvi mais axé ao vivo aqui em Buenos Aires do que nos últimos 6 anos da minha vida."Mala onda", isso que devo ser.

Sinceramente esperava música de festa junina ao ir numa festa junina. Algo como "o balão vai subindo, vai caindo a garoa...". Isso sim me faria identificar, mas ouvir sambão com mulatas semi-nuas balançando as carnes só me faz lembrar que esse Brasil não é o meu. Devo ser um alien.

8 comments:

Paola De Orte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Túlio disse...

mala onda

souzabernal disse...

hahaha.
viva la imbrasilidad.
acontece.no sos mala onda.
beijin

Thiago Cesar disse...

nao sei de quem é a culpa,já que provavelmente quem idealizou a festa certamente foi um brasileiro que queria faturar unzinho... brasil e festa junina fora do brasil, precisa de carnaval ou axé... qqer coisa do brasil fora do brasil precisa de pelo menos uma bunda... saudade do zeca carioca e da carmem miranda! ahahahah

Thiago Cesar disse...

era ze carioca né? nada de zeca ahahaha

Maurício Alejándro Kehrwald disse...

Tivesse nascido no RS teria este sentimento a todo o instante sobre tudo.

Chris disse...

Ih... ainda bem que não pude ir então. Eu pensei que seria divertido, mas pelo que vc descreveu, nã tinha nada a ver com a festa junina verdadeira.

Chris disse...

Ih... ainda bem que não pude ir então. Eu pensei que seria divertido, mas pelo que vc descreveu, nã tinha nada a ver com a festa junina verdadeira.

Blog Widget by LinkWithin