quinta-feira, julho 26, 2007

Esse jogo não é um a um.

Percebi que ultimamente minhas relações interpessoais tem sido ditadas por um tipo de Teoria Geral do Zero a Zero.

Resumindo muito bem, essa teoria tem a premissa de que as coisas sempre devem ser balanceadas, no prumo, nem pra lá nem pra cá, no zero a zero.

Se você me deu presente de aniversário, te dou presente. Se você puxa papo para conversar comigo, farei o mesmo em breve. Mas se só eu começo uma conversa, depois de umas 3 tentativas consecutivas isso acaba.

Se você me trata bem e pergunta da minha vida, eu também farei o mesmo em outro dia. Se você me convida para sair, eu também proporei alguma coisa em breve. Mas se só eu convido, uma hora isso vai deixar de acontecer.

Se você é simpático e fala sobre merda, assim serei eu com você. Mas se chego animado para contar um causo e você não me dà bola, obviamente nunca mais te contarei um causo.

Se eu te chamo para conhecer minha casa e você não faz o mesmo dentro de um tempo, não te convidarei mais.

Viva a regra do zero a zero! Viva o tédio e a falta de iniciativa! Viva a vida bunda que passa calmamente sem alarde! Viva a repressão!

Abaixo a espontaneidade, a naturalidade e a ousadia!

5 comments:

adélia jeveaux disse...

toma lá, dá cá.
é assim que o mundo funciona.

Túlio disse...

Adélia... sábia garota.

claudemir disse...

Viva a reciprocidade!

marie disse...

Viver a base do zero a zero é um tédio, convenhamos. Isso merece uma rebelião, nem que seja só pra ver a reação do outros, e se divertir com isso, claaro.

Gábis disse...

Concordo que isso ocorre msmo...mas dah um gostinho interessante quando vc ignora algo...mas espera q a pessoa volte...mas ai ela pode ignorar...ai fika naquele vai e vem...eh engraçado!Mas eh um tedio msmo!hehehe

Blog Widget by LinkWithin