sexta-feira, outubro 20, 2006

Manhãs de domingo

Há 15 anos atrás Ayrton Senna era tri-campeão mundial de fórmula 1. Há 15 anos que o Brasil não tem um corredor campeão. E uns 12 anos que a fórmula 1 perdeu sua graça, que aquelas manhãs de domingo clássicas não são as mesmas.

Não tem Rubinho, Massa ou sei lá quem que o substitua. Episódios como a sua lendária vitória em Interlagos entraram pra história de nosso país. Alguém lembra dos títulos do Piquet e do Fittipaldi? Não e também não sei explicar.

Vendo hoje a notícia do aniversário de 15 anos de seu último título bateu uma melancolia. Lembrei daquele primeiro de maio de 94, uma morte que marcou meu começo de adolescência. Lembro de ter visto o Fantástico naquele domingo e ter chorado com aquela música do Milton Nascimento, a "Canção da América". Aqueles versos "Qualquer dia amigo eu volto pra te encontrar" eram a coisa mais triste daquela canção.

Nosso país sempre precisou de heróis e sei lá porque o Senna foi um. Desde então não me lembro de outro herói brasileiro. Pelé não era herói, não era esse mito. A Xuxa é uma piada. Alguma sugestão?

8 comments:

Anônimo disse...

IMPERDONABLE!
como que xuxa es una piada?
piada tu abuela!
(como no se que es.. te la devuelvo) ajajaj

xuxa es parte de mi niñeeez! hasta la fui a ver a Paraguay y todo!

esa no la sabías... y cómo engañé a mis amiguitas dándoles "falsos autógrafos" hechos por mi? jodida de chica ya era jajaja

bueno otra cosa. repito, yo me acuerdo tambien de cuando murio porque estaban mirando la formula 1 en mi casa.
y como en misiones nos caen mejor los brasileros, tanto mi mamá como mi hermano estaban medio pichados porque se había muerto senna (viviamos mi madre, mi hermano y yo juntos en esa época).

bueno,, pa variar.. largo el post.

nos vemos el lunes!

Túlio disse...

che.... XUXA en PARAGUAY!
que espetáaaculo!

yo tambien la vi, pero en la "Vila Belmiro", la cancha de Santos.

en la fiesta del último sábado, aquella de las 4h de la mañana, bailé "Ilariê o o o"

George disse...

Túlio:

Publiquei um texto teu sobre os times de Buenos Aires no meu blog sobre futebol.
Citei a fonte,claro.

Se houver algum problema,me avisa que eu retiro.

http://purofutebol.blogspot.com/

Abraço.

George disse...

Valeu, Túlio!

Sobre o Senna: acho que não tem nenhum caso semelhante mesmo. Eu lembro exatamente onde estava quando ele morreu. Era um congresso de "Interacts Clubes" em Bagé(RS), e soubemos por alto do acidente e ninguém deu bola, pq a maioria achou que era sensacionalismo da Globo. Logo depois vimos que não era.
O mais impressionante é que relembrando do fato, até hoje é difícil de acreditar.

E amanhã é acompanhar Rubinho & cia. Dose.

Manoel Magalhães disse...

tipo, não querendo ser chato, mas sendo... você não acha que essa imagem de "herói nacional" que ele acabou recebendo vem de duas coisas:

1) ele ser bom moço e tal; aí a Globo meio que sempre preferiu dar mais moral a ele;

2) ele morreu, as pessoas quando morrem, geralmente são vistas com melhores olhos, tipo o Brizola quando morreu... rolou uma emoção nacional que eu nem sei se existia antes da morte dele.

O Piquet sempre foi de arrumar confusão e falar muito mal (mais MUITO mal mesmo) do Galvão Bueno narrando a fórmula 1. Acho bem difícil alguém que diz esse tipo de verdade ser chamado de "herói" pela Globo.

Já o Fitipaldi é outra geração, uma época onde o lance não era tão business. talvez ele tenha mais mérito pra ser chamado de herói... é um lance quase "Maria Ester Bueno" saca? de quem foi lá e começou a parada... mas geralmente essas pessoas não são tão "bom exemplos assim"... porque hoje esses "heróis" de massa... tem que ser sinônimo de "Sucesso"... ou seja... ganhar e gerar muita grana!

Enfim, herói nacional pra mim... é tipo Paulo Freire, Darcy Ribeiro...

George disse...

Manoel, sobre fórmula tens alguma razão sim.

MAs teus exemplos de heróis são clichês de esquerda, só queriam o bem da ideologia deles.

Ó o "tio" Darcy:
http://br.geocities.com/sitecristaldo/comoumvigarista.htm

Túlio disse...

pois é, concordo com vc Manolo. Mas eu ali, ainda criança, acreditei e muito nessa imagem de heroi. Dificil tirar essa imagem agora.

Anônimo disse...

pelo que li nesse site, george, a maioria das coisas se refere a vida pessoal do Darcy, coisa que não sei se interessa muito quando o assuno é a obra do cara.

como falei da Maria Ester Bueno, não sei se "herói" é sinõnimo de "exemplo"... até porque ninguém deve seguir as pes
man så tage sig til...

Blog Widget by LinkWithin