domingo, abril 12, 2009

Gomorra


É muito raro eu ver um filme que não goste. Geralmente sempre leio as críticas, ouço os comentários dos chegados, vejo quem é o diretor, quais os atores para escolher o que ver. Mas de tempos em tempos a crítica me engana.

Gomorra é um caso típico. Um filme comentado em todo mundo, ganhador de vários prêmios, elogiado por toda crítica. Mas assistir a essa história no cinema foi uma verdadeira tortura.

O filme tem um caráter documental e aborda várias tramas, mostrando vidas e mortes de pessoas ligadas à máfia.

São cenas e mais cenas intercaladas sem muita ligação sobre si, sem uma ponte ou conexão mínima que seja. Uma direção medíocre que abusa dos closes e da câmera tremida que mais parece um misto de Olga, filme brasileiro onde só tem close, com Bruxa de Blair. A trilha sonora, que volta e meia cai em música popularescas dance da Itália é torturante.

A história não engata, você desconhece as razões e motivações da maioria dos personagens, assim como fica sem saber o que muitos a agirem de certa forma. Você não sente nada porque nenhum deles é trabalhado com mais profundidade.

A parte documental fica pelo fato de que a parte entediante, chata e menos interessante da realidade é a grande coqueluche do filme. Pra quê? Realismo? Para isso basta eu ir ali na esquina e ver dezenas de pessoas feias sem nenhuma perspectiva de melhora de vida. Até um documentário tem uma estrutura coerente, coisa que Gomorra passa longe.

Além do mais qual é a grande revelação do filme? A máfia é corrupta e mata qualquer um sem dó e piedade? Mas quem já não sabe disso? Ao contrário de Cidade de Deus ou Slumdog Millionaire, você não é levado para o interior de Nápoles, sua cultura e dia-a-dia. É apenas bombardeado com uma rajada de vida real, com quase nenhuma história ou drama.

Gomorra, a maior farsa do ano.

7 comments:

Leo Carioca disse...

Não assisti o filme.

Obrigado pela dica, pq sim li o livro que é realmente foda. Mais uma vez se cumpre a premissa que livro é melhor que a versão cinematográfica

Em geral, os livros de tema investigativos estão muito mal escritos.

Este nao é o caso: realmente bem escrito, com muitas historias, vai levando você para dentro dos personagens.

O livro sim é recomendável.

Julieta Abiusi disse...

Tulio, só com essa fotinho dos Fulanos de cueca e tênis vc já tinha que ter sacado q era furada haha...

Túlio disse...

hahahahaha!

falou e disse.

m disse...

afe, chatonildo mesmo viu. um saco-lé. compramos o dvd piratex e dormi aos 20 min acho. e eu nao sou de dormir em filme, juro.

adélia jeveaux disse...

po, eu acho que o fato de ser uma rajada de vida real é o grande mérito do filme.
mas cada um é cada um!

Wilame Prado disse...

Estava com vergonha de falar, mas achei uma merda também. Fico ainda com a trilogia The Godfather, que assisti umas 8x cada filme, ou Os Bons COmpanheiros ou quem sabe Era Uma Vez na América.

Túlio disse...

O filme pelo menos tem a façanha de, ao contrário do POderoso Chefão, não glamuralizar a máfia.

Blog Widget by LinkWithin