terça-feira, dezembro 05, 2006

Mercosul Musical

Brasileiros e argentinos vivem se copiando musicalmente. Acontece que ninguém fica sabendo o que acontece do outro lado da fronteira. Aqui cito alguns exemplos dos mais famosos casos.

"À sua maneira" do Capital Inicial, aquela música chata e grudenta que faz parte do repertório de qualquer banda cover meia-boca, é uma versão para "Música Ligera", grande sucesso de uma das maiores bandas argentinas: o Soda Stereo. Essa mesma música também foi gravada pelo Paralamas em 1996 no disco 9 Luas numa versão tinha uma letra que se aproximava muito mais da original. A do Capital, ao contrário, com letra um pouco mais livre, estourou muito mais. Lembro de uma vez no falido Bangalô, bar ali perto da Reitoria em Curitiba, que uma banda executou esse cover e foi a gota d´água para eu sair do lugar.

Os Paralamas do Sucesso são campeões em fazer versões de músicas argentinas. Não é à toa que eles são a banda brasileira mais famosa no país do DDI 54. "Lourinha Bombril" é versão de "Parate y mira" dos Pericos e "Trac-Trac", de Fito Paez. Fora outras versões que eu nem devo ter conhecimento.

O Ataque 77, banda argenta, tem uma versão para "Perfeição" do Legião Urbana, além de ter outra para "Amigo" do Roberto Carlos. Escutei as duas e me divirto sempre.

Engraçado é perceber a adaptação que as bandas fazem. Em "Lourinha Bombril", os Paralamas deixaram a música totalmente brasileira. Mudaram o título e a letra totalmente. Quem poderia imaginar que uma música que fala da miscigenação brasileira é uma versão de uma banda argentina?

Essa crioula tem o olho azul
Essa lourinha tem cabelo bombril
Aquela índia tem sotaque do Sul
Essa mulata é da cor do Brasil


Nada a ver com a original dos Pericos:

No se da cuenta, ella sigue su juego
Va para adelante , sigue con su meneo
Cuida su cuerpo, no le da respiro
y escucha lo que digo y mira lo que digo


Já o Bersuit, segundo comentário uma banda que mais bem reflete a argentinidade, mudou pouco seu "El tiempo no pára". Por exemplo a parte de "brasileiros" para "argentinos". Lembrando que "El tiempo no para" também é o nome de uma novela aqui, onde o tema de abertura, obviamente é esse, mas cantado por uma uma mulher que não sei quem é.

Las noches de frío es mejor ni nacer,
las de calor se escoje matar o morir
y así nos hacemos Argentinos!!
Nos tildan de ladrones, maricas, faloperos,
y ellos destruyeron un país entero,
pues así se roba mas dinero.


Já na versão original do Cazuza:

Nas noites de frio é melhor nem nascer
Nas de calor, se escolhe: é matar ou morrer
E assim nos tornamos brasileiros
Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam o país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro

5 comments:

Anônimo disse...

Eu sempre penso nisso!
E tem uma do KLB que tb...
"Vida.. devolva minhas fantasias... meus sonhos de viver a vida...// sem teu carinho.."
jaja só que ñ sei se a versao original é "argento" ou "brazuca" jaja

Anônimo disse...

ladriiiiiis

Anônimo disse...

faltou a melhor: "mulher de fases" virou o raggae "complicado y aturdido", do los pericos. ja ouviu essa?
"complicado y aturdido, asi me levanté
no era con lo que contaba, un dia de suerte
cuando anoche me decias que todo siga en pie
solo fueron mas mentiras..."

acho que é isso, mas o resto q eu nao lembro é o melhor.

laura

Anônimo disse...

Descobri que tem versão porteña de "ela tá dançando e o pimpolho tá de olho". Bizarro é apelido.

Manoel Magalhães disse...

"Transformam o país inteiro num puteiro" é muito melhor que "y ellos destruyeron un país entero"..

Blog Widget by LinkWithin